100 primeiros dias do bebê: a mãe, o pai e os outros

3 de outubro de 2013   Por:    Maternidade, Ser Mãe   0 Comentários

100 primeiros dias do bebê: a mãe, o pai e os outros

A cabeça do homem que vira pai

Enquanto a mulher vai experimentando o gostinho de ser mãe já na gravidez, o homem precisa esperar o bebê nascer para ter a sensação mais real de que, sim, ele é pai. “O contato com o pai é muito indireto. E a chegada do bebê é uma mudança brusca e bastante intensa. O homem pode ficar muito absorvido com as tarefas do bebê, ao mesmo tempo em que continua tendo as mesmas demandas externas, como o trabalho, que só para por cinco dias”, explica a psicóloga Milena da Rosa Silva, professora do Instituto de Psicologia da UFRS, em Poro Alegre, e pesquisadora da área de paternidade. Por outro lado, as atenções estão muito mais voltadas para a mãe e a criança, podendo deixar o pai um pouco de escanteio. O segredo para se sentir integrado à família, além de participar da rotina, é brincar com o filho. “Para o homem, essa troca é muito importante. Ver que o bebê responde de alguma forma, olha para ele, sorri… Quanto mais ele interagir com a criança, mais ‘pai’ ele vai se sentir”, diz a especialista.

A cabeça da mulher que vira mãe

A cabeça da mulher que vira mãe

Depois de nove meses gerando o bebê, finalmente chega a hora de conhecê-lo. Nessa transição de gestante para mãe começam a se estabelecer os primeiros vínculos. “Os primeiros dias podem ser difíceis e o cansaço é grande, mas a descoberta do amor pelo filho acaba ajudando a mulher a passar por essas dificuldades”, explica a obstetra Carolina Ambrogini, coordenadora do Projeto Afrodite, da Unifesp, e colunista da CRESCER. A regra é não deixar de se cuidar também, até para poder cuidar melhor do bebê. Fazer a unha uma vez por semana e poder contar com a ajuda de alguém – seja avó, babá ou marido – para tirar uma soneca, por exemplo. É recomendado voltar ao obstetra de 7 a 10 dias após o parto, para checar o processo de cicatrização (dependendo do tipo de parto), ver como estão os seios, por conta da amamentação, e tirar dúvidas. Uma recorrente é sobre a quarentena. “Nesse tempo, o corpo e os órgãos sexuais vão voltando às condições anteriores à gravidez. Mesmo se o parto foro natural, a mulher terá um sangramento irregular até por volta de 30 a 40 dias depois do nascimento do bebê”, diz Carolina. Isso sem contar os primeiros e cansativos dias do bebê, em que o casal ainda está se adaptando à nova rotina. Nas primeiras semanas é comum a sensação de incapacidade, um choro fácil, mas isso passa conforme a mãe se sente mais segura e o nível hormonal se estabiliza. Se o tempo for passando e você ainda não se sentir 100%, vale procurar seu obstetra para uma conversa. A depressão pós-parto não significa que você não ame seu filho ou não seja uma boa mãe. A ajuda de um especialista e o carinho da família vão auxiliar você para que possa curtir seu filho de forma saudável e prazerosa.

A cabeça da mulher que vira mãe

O limite para os outros

Seu bebê acabou de nascer e todo mundo está louco para conhecê-lo. Mas antes de permitir as visitas, seja na maternidade ou em casa, respire fundo e avalie a situação com calma, para não ser atropelado por uma avalanche de amigos e parentes. Você não precisa se sentir culpado caso prefira esperar algumas semanas para receber pessoas, pois pode ser difícil fazer sala e administrar a rotina do bebê, principalmente nos primeiros dias. Se (e quando) decidir que é hora de chamar a família e os amigos, aqui vão algumas dicas valiosas:

• Tenha um estoque de sucos e petiscos como amendoins ou pistache. Caso você resolva fazer uma refeição com as visitas, peça um delivery sem constrangimento

• Não deixe de seguir a rotina do bebê. Se for hora do leite ou da troca, peça licença e vá em frente

• Se a sua visita fala alto demais, comece a falar com uma voz bem baixa. Ela vai se tocar que deve reduzir o volume

• Se os visitantes quiserem pegar o bebê e acabaram de chegar da rua, peça para que lavem as mãos. Curta esse tempinho com os braços livres, ele é precioso na primeira semana! Caso seja um amigo íntimo, aproveite para tomar um banho mais demorado ou até fazer as unhas!

Fonte: Revista Crescer

  Fotos: onsecrethunt.com
babymonitorbestbuys.com
organicbabymattress.org

 

Posts Relacionados

Deixe um Comentário