Diástase Abdominal no Pós Parto

24 de setembro de 2013   Por:    Maternidade   3 Comentários

Muitas mulheres após terem seus bebês desconhecem a importância da recuperação no pós- parto. Nessa fase, é fundamental que  a atividade física vise a recuperação da força muscular, relaxamento e exercícios específicos de fortalecimento da pelve, da coluna e abdômem.

Diástase Abdominal

Após o parto, a barriga da mulher fica flácida devido ao rompimento da musculatura abdominal . Este rompimento chama-se Diástase, onde a parede dos músculos do abdômem se dividem ao meio, na vertical, partindo do umbigo. As mulheres que não realizaram exercícios físicos neste período, e não tem abdômem  fortalecido, desenvolvem mais chances de terem dores nas costas e nas pernas.

Porém, se o afastamento for menor que quatro centímetros, exercícios físicos para a região abdominal revertem a situação em mínimo de três meses, e máximo de 6 meses com o término da amamentação. Se for maior, é necessária cirurgia para unir os lados, desde que a mulher não tenha vontade de ter mais filhos. Não dá para prevenir a diástase, mas exercícios específicos por profissionais que entendam de gestantes e pós -parto podem reduzir as chances da mulher desenvolver tais dores.

COMO IDENTIFICAR

Diástase Abdominal

Para identificar se você tem este afastamento, é simples, deite-se no chão, e flexione o tronco levemente a  45 graus.  Ao fazer isso, você vai sentir como se um pequeno buraco separasse os dois lados da musculatura da parede do abdômen. Em seguida, verifique quantos dedos cabem  no vão. Um espaçamento de um ou dois dedos é normal e, com os exercícios, diminui gradualmente. Um vão de três ou quatro dedos requer atenção especial para reparar e reequilibrar os músculos. Caso, tenha dificuldade em realizar o exame sozinha consulte um profissional especializado.

Diástase Abdominal

O trabalho para o fechamento da diástase é eficaz e o exercício deve ser de intensidade baixa. É muito importante fortalecer os músculos retos-abdominais, garantindo dessa forma, sua estabilização e alinhamento quando os demais músculos entrarem em ação, e posteriormente, estes outros grupos musculares poderão ser exercitados também.

Deve ser evitado exercícios abdominais convencionais, exercícios de rotação de tronco e quadris, alongamento lateral ou da cintura, pois servem apenas para aumentar a diástase. Durante os exercícios, deve-se expirar quando levantar a cabeça e os ombros, pois isto evita um aumento da pressão intra-abdominal. A pressão intra-abdominal elevada apenas aumenta a diástase, que anula todo o propósito do exercício e consequentemente, a reabilitação muscular se torna mais demorada.

Portanto, após o parto é inevitável a diástase, mas se seguir as orientações ao se consultar com seu médico e se exercitar com um profissional de Educação Física ou até mesmo fisioterapeuta para realizar este trabalho específico, o resultado será a recuperação completa e o seu abdômem irá ficar como era antes de engravidar.

EXERCÍCIOS ABDMOMINAIS COM TOALHA

Repetições: 2 sets de 10 repetições (quando estiver com mais força faça 40 repetições por dia)

Deite-se de costas com os joelhos fletidos e os seus calcanhares alinhados com as ancas. Envolva uma toalha à volta da zona abdominal média, segurando-a nas extremidades.

Diástase Abdominal

Levante a cabeça, pescoço e ombros do chão, expire e sugue os abdominais para as costas enquanto levanta a sua pélvis. Isto irá ativar os abdominais transversais. De seguida, aperte bem a toalha, isto ajudará os abdominais a ficarem mais juntos, voltando desta forma à sua posição inicial. Se lhe doer o pescoço, levante apenas a cabeça e o pescoço e não os ombros.

Tenha sempre em atenção o espaço da separação. Não necessita de fazer as repetições todas da mesma vez, pode ir fazendo durante o dia. Até os abdominais não estarem a menos de 2 dedos de distância, não faça exercícios abdominais de outro género, especialmente abdominais com rotações, levantamento de objetos, e exercícios de pernas, pois todos agravarão o problema.

Pense em fazer força com a zona abdominal, levando o umbigo para as costas em vez de ser para fora – se não conseguir fazer isto, quando estiver a fazer alguma atividade como pegar no bebé, rir, tossir, ou outras atividades físicas, isto é uma boa indicação que deve evitar este tipo de atividades porque provavelmente estará a forçar o “puxar para a frente os abdominais”, tornando a separação ainda maior.

CINTA ABDOMINAL

Muitas mulheres, especialmente algumas celebridades, dizem que usar uma cinta à volta da barriga depois do parto ajuda muito, sendo uma boa ajuda para os abdominais voltarem ao sítio mais rapidamente. E de facto é uma boa ajuda, especialmente quando existe espaçamento abdominal, não ajudando a situação a piorar. A cinta abdominal também é indicada para dar o suporte extra necessário, e uma forma de lembrar que deve ativar os abdominais durante o dia. Porém, não deve fazer exercício abdominal se estiver a usar a cinta abdominal. A cinta é apenas uma ajuda para recuperar mais rápido e não uma forma de assegurar a segurança do exercício físico depois do parto.

Fonte: Corpo em Atividade

De mãe para mãe.pt

Fotos: pregnancyandbaby.com

centercintas.wordpress.com

3 Comentários to “Diástase Abdominal no Pós Parto”
  • adrinalva
    14 de maio de 2014 - Responder

    fiquei com a barriga muito flacida

    • Fabi
      15 de maio de 2014 - Responder

      Olá,

      O pós parto é diferente para cada mulher. No meu caso como foi uma gestação gemelar infelizmente tive a Diástase Abdominal. Fiquei apavorada no começo, contudo tive que correr atrás do prejuízo e deixar a preguiça de lado. Hoje, vejo que melhorou bastante, no entanto a flacidez ainda faz parte do meu corpo, mas não é algo que me deixa triste pois engordei 27kg, então era de se esperar. Claro que minha barriga não será como antes, mas confesso que ainda posso encarar um biquine sem problemas. rs*. Bjos.

  • adrinalva
    14 de maio de 2014 - Responder

    quero ter um resultado dos sonhos

Deixe um Comentário