Sofia

4 de setembro de 2013   Por:    Maternidade   0 Comentários

Um lindo  texto escrito por Fabrício Carpinejar para a Revista Pais & Filhos.

922f7808bfe4d3b342b1ad6d16b50d3f

Você conversará com seu corpo durante nove meses, e ele irá responder com socos e chutes e uma fúria incontrolável. Saberá, enfim, o que é vontade de viver.

Você vai querer ficar sozinha para sentir saudade do mundo.

Você entenderá finalmente que a fé não deixa o amor terminar.

Você vai perdoar os medos mais antigos e abraçará sua mãe como se fosse uma nova amiga.

Você vai sonhar com o rosto de sua filha e receberá qualquer pressentimento com a certeza de uma notícia.

Você ficará me olhando em segredo para ver quais traços que ela vai herdar de mim.

Você me amará o dobre e ainda será pouco. Você se amará o triplo e ainda será pouco. Você amará sem pedir resposta.

Você mudará sua audição. E escutará o que carrega dentro do coração como se estivesse fora.

Você agirá primeiro para depois reclamar.

Você será adulta de verdade, pois vê que alguém depende agora só de sua palavra. A responsabilidade continuará a felicidade.

Você cuidará da respiração como um relógio.

Você estará sempre aproveitando uma gaveta para ampliar o passado.

Você se interessará por todas as mães que estão conduzindo carrinhos na rua.

Você terá piedade de jogar fora cartões, cartas e bilhetes.

Você colecionará exames médicos.

Você pensará na infância fora da infância.

Comprará brinquedos para divertir a residência.

Você não terá mais arrependimentos, mas promessas.

Você contará sua história do início mais remoto pelo prazer de estar acompanhada.

Você pensará diferente para respeitar a sua filha, você será diferente para se igualar ao seu pai.

Você cantará músicas que não cantava há muito tempo.

Você adormecerá fora de hora, com um livro na mão ou no meio do filme.

Você aceitará que algo quebre, algo estrague, algo não vingue sem escândalo. A paciência é a paz que você necessitava.

Você festejará o sol que aparecerá de repente na janela ou no varal. Você antecipará a chuva pelo vento na nuca.

Você acompanhará a gestação pelo reflexo nas vitrines.

Você passará o dia respondendo perguntas que ainda não foram feitas.

Você aceitará a imperfeição como charme. Aceitara o erro como carisma. Aceitará a falha como parte da personalidade.

Você terá um motivo a mais para voltar para casa. E também aproveitará bem mais cada saída de casa.

Você se tornará uma médica leiga, com direito a caixinha de farmácia na despensa.

Você não achará nenhuma dúvida ridícula, nenhuma pergunta tola.

Você será mãe. Escutar isso da própria filha é inexplicável, dá um aperto nos olhos.

Fabrício Carpinejar, 40 anos, descobriu a receita da felicidade: sempre é aniversário quando acorda. Assim também nunca erra seu nascimento. Pai de dois filhos (Vicente e Mariana), autor de 22 livros, já ganhou os principais prêmios literários do país, como o Jabuti, duas vezes, Associação Paulista dos Críticos de Arte e Olavo Bilac, da Academia Brasileira de Letras.

Ilustração: Silvana Avila

 

Posts Relacionados

Deixe um Comentário