Orgânicos: no que vale a pena investir?

4 de setembro de 2013   Por:    Cantinho da Mamãe   0 Comentários

A alimentação saudável é aquela que inclui muitos legumes, frutas, verduras e nenhum agrotóxico. Isso a gente já sabe. No mundo ideal, todos os alimentos seriam orgânicos mas, no dia a dia do supermercado, a realidade é outra. É impossível encontrar tudo o que se precisa para montar um cardápio infantil balanceado, das folhas escuras variadas ao alho, do mamão à mandioquinha – os dois últimos, itens raríssiomos na gôndola até de endereços especializados. Diante do impasse, o que fazer? Melhor passar o mês restringindo a dieta da criança a maçã, laranja, couve e batata-doce?

Orgânicos

Nessas horas, ganha o bom senso: sua geladeira não precisa ser 100% orgânica, mas você pode evitar os vegetais que, no cultivo tradicional, recebem maior quantidade de agrotóxicos, porque suas lavouras são mais seníveis a pragas.

“A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulga periodicamente listas dos alimentos mais contaminados e das substâncias cujo uso é proibido nas lavouras. O pimentão é o campeão em agrotóxicos, seguido do morango e do pepino”, explica a nutriconista Vivian Bausas. O melhor é substituí-los por seus similares orgânicos, livres de venenos, adubos químicos e transgênicos. Além disso, para entrarem nessa classificação, os produtos precisam ser cultivados em um ambiente que leve em conta a sustentabilidade ambiental e social.

Na ausência de alimentos orgânicos, o melhor é investir em ingredientes frescos. E a forma de preparo também ajuda a Orgânicosdiminuir a quantidade de substâncias tóxicas. É preciso higienizar muito bem os legumes, as frutas e as verduras. Primeiro lave em água corrente, em seguida deixe em uma solução de hipoclorito de sódio por 15 minutos. Por fim, enxague novamente em água corrente. Parece excesso de zelo, mas vale a pena. “Ao contrário do que muitos acreditam, o vinagre não elimina os agrotóxicos dos alimentos nem mata bactérias”, afirma Vivian. Outra dica é sempre optar pelos vegetais da estação. “Para conseguir produzir um vegetal fora de época, os agricultores precisam utilizar mais fertilizantes”, explica a nutricionista.

O Mal dos agrotóxicos

Comer vegetais com agrotóxicos hoje não vai deixar você e seus filhos doentes amanhã. “Todas as substâncias que o organismo não consegue processar ou são eliminadas ou se acumulam na cama de gordura do corpo. E isso pode provocar doenças ao longo dos anos”, explica o pediatra, imunologista e alergista Sergio Spalter. Segundo ele, as crianças com menos de 2 anos são as mais suscetíveis aos efeito cumulativo dos pesticidas. “O sistema nervoso delas ainda está em desenvolvimento. Por isso, os cuidados com a a limentação devem ser maiores desde a gravidez até os 2 anos”, afirma o médico.

As substâncias tóxicas podem, a longo prazo, desregular o sistema imunológico, diminuindo as chances de defesa do organismo contra várias doenças. “Ainda é díficil estabelecer a correlação entre o consumo de alimentos com agrotóxicos e algumas doenças. Mas sabemos, por exemplo, que muitos tipos de câncer são provocados por fatores externos ao organismo, como a toxidade dos alimentos”, diz Spalter.

Fonte: Revista Vogue Kids. Texto: Por Adriana Carvalho.

Deixe um Comentário